A ARCA - A arte em ser do contra!
 
Menu du jour! Tutu Figurinhas: o nerd mais bonito e inteligente dessas paragens destila seu veneno! GIBI: Histórias em Quadrinhos, Graphics Novels... é, aquelas revistinhas da Mônica, isso mesmo! PIPOCA: Cinema na veia! De Hollywood a Festival de Berlim, com uma parada em Nova Jérsei! RPG: os jogos de interpretação que, na boa, não matam ninguém! ACETATO: Desenhos animados, computação gráfica... É Disney, Miyazaki e muito mais! SOFÁ: É da telinha que eu estou falando! Séries de TV, documentários... e Roberto Marinho não está morto, viu? CARTUCHO: Videogames e jogos de computador e fliperamas e mini-games e... TRECOS: Brinquedos colecionáveis e toda tranqueira relacionada! Tem até chiclete aqui! RADIOLA: música para estapear os tímpanos! Mais informações sobre aqueles que fazem A Arca Dê aquela força para nós d´A Arca ajudando a divulgar o site!
Artigo adicionado em 06/08/2006, às 08:17

Review: OS MORTOS-VIVOS – DIAS PASSADOS
Cérebro! Cérebro! Cérebro! Sei que já faz um tempinho que saiu, mas não poderia deixar de comentar esta excelente edição por aqui. Os Mortos-Vivos, ou “Walking Dead” no título original, traz o autor Robert Kirkman, ainda um desconhecido quando lançou este gibi. Kirkman começou com o polêmico “Battle Pope” em 2002, que mostrava um Papa […]

Por
Rodrigo "Machine Boy" Parreira


Sei que já faz um tempinho que saiu, mas não poderia deixar de comentar esta excelente edição por aqui. Os Mortos-Vivos, ou “Walking Dead” no título original, traz o autor Robert Kirkman, ainda um desconhecido quando lançou este gibi. Kirkman começou com o polêmico “Battle Pope” em 2002, que mostrava um Papa no fim dos dias agindo como um super-herói, tendo como parceiro ninguém menos que Jesus. Hoje, além dos sucessos de “Walking Dead” e “Invencible”, ele foi contratado pela Marvel Comics onde produz a minissérie “Marvel Zombies” e os títulos mensais “Marvel Team Up” e “Ultimate X-Men”.

Mas quem já leu “Battle Pope”, viu que o autor tem predileção pela linha satírica, engraçadinha, e em “Marvel Zombies” você enxerga esta mesma forma de guiar a história. Mas se você acha que vai encontrar o mesmo estilo em “Os Mortos-Vivos”, pode esquecer. Pois nesta revista, Kirkman assume um argumento mais maduro, sério e bastante comportamental. E a exemplo do recente filme de horror Madrugada dos Mortos, os mortos-vivos em si servem apenas de pano de fundo das histórias. O que na verdade está em jogo é o comportamento dos sobreviventes, que são forçados a se adaptar a esta nova e imutável realidade – quase tudo está tomado por estas criaturas, e para os ainda vivos, só há uma perspectiva de futuro quando descobrirem como sobreviver aos ataques sem ser infectados pelo vírus que transforma pessoas vivas em cadáveres ambulantes, andarilhos e famintos por carne humana.

Seguindo a linha de outro longa-metragem de sucesso, o suspense Extermínio, este encadernado começa com o policial Rick Grimes acordando de um coma ao ser encurralado e levar um tiro. Quando acorda do tal coma por um milagre, já é tarde para a cidade que está dominada pelas criaturas zumbis. Grimes vê seu primeiro desafio em tentar sair vivo do hospital lotado de seres esfomeados. Num determinado trecho, é muito interessante ver o comportamento do personagem, como ele sofre ao ver uma das criaturas caída ao chão também sofrendo, despedaçadas e sem forças para caçar – e como, mais tarde, ele retorna para pôr fim ao sofrimento. Este é o grande “Q” do título: retratar o estado psicológico de pessoas reagindo a esta insólita situação; como pessoas reais, de carne e osso, reagiriam a uma catástrofe deste porte, sem aquela coisa de pegar o primeiro traje colante e correr como super-herói.

Rick Grimes acordou do coma, e viu que tudo o que deixou para trás não existe mais, e que a única coisa que lhe resta é procurar sua mulher e seu filho, que talvez não estejam mais entre os vivos. Kirkman soube lidar com situações-limite como inseguranças, carência, futilidades e honestidade. Como várias pessoas de lugares diferentes, de pensamentos diferentes e de “mundos” diferentes, podem se unir quando aquilo que existe está muito frágil, e a única coisa que eles tem, é um ao outro. Pode até parecer exagero, mas achei uma edição emocionante, e uma grande surpresa saber que a Image investiu em algo tão bom, que não está ligado só à arte.

Mais um encadernado muito bom, que chega até nós pela editora HQ Maniacs com um grande respeito na publicação, com papel de qualidade, impressão perfeita e uma ótima tradução – sem contar com a escolha de trazer as edições que foram republicados nos States há pouco tempo, e ganharam tons de cinza, que valorizaram a arte já muito boa de Tony Moore. Então, se você tiver um dinheirinho sobrando e uma vontade de ler algo bom, corra as bancas ou entre no site da HQ Maniacs clicando aqui.

Os Mortos-Vivos: Dias Passados (Título original: The Walking Dead – Days Gone By) / Ano: 2006 / Editora: HQ Maniacs (publicada originalmente pela Image Comics) / Roteiro: Robert Kirkman / Desenhos: Tony Moore / 144 páginas.

:: UAU! Hoje, dia 14 de setembro, comemoramos 20 anos do lançamento do site https://t.co/ATRXN4js2w. Muita água rolou debaixo desta ponte ao longo dos últimos anos. Deu risada, deu briga, deu casamento. Mas deu, mais do que qualquer coisa, muito orgulho, isso sim.
:: Gente, tudo bem? Tamos vivos aqui, tá. E nos cuidando. Aproveitando #tbt, olha o crossover de @thiagocardim e @rpichuebas que rolou neste episódio do @imaginasepega! #tomevacina #VivaOSuS #usemascara #ForaBolsonaro
:: RT @AnimaSomPod: Faça como o @thiagocardim e contribua também com nossa campanha do @catarse! 😄 Nos ajude a bater a meta de R$ 500 e tenha…
:: ...e olha só que o filho da @francineguilen e do @rpichuebas chegou no Twitter. Segue lá!
:: RT @imaginasepega: Não importa se você é padawan ou mestre Jedi. Este episódio do #podcast @imaginasepega é pra você, homenagem ao #StarWar…

Quem Somos | Ajude a Divulgar A ARCA!
A ARCA © 2001 - 2007 | 2014 - 2021