A ARCA - A arte em ser do contra!
 
Menu du jour! Tutu Figurinhas: o nerd mais bonito e inteligente dessas paragens destila seu veneno! GIBI: Histórias em Quadrinhos, Graphics Novels... é, aquelas revistinhas da Mônica, isso mesmo! PIPOCA: Cinema na veia! De Hollywood a Festival de Berlim, com uma parada em Nova Jérsei! RPG: os jogos de interpretação que, na boa, não matam ninguém! ACETATO: Desenhos animados, computação gráfica... É Disney, Miyazaki e muito mais! SOFÁ: É da telinha que eu estou falando! Séries de TV, documentários... e Roberto Marinho não está morto, viu? CARTUCHO: Videogames e jogos de computador e fliperamas e mini-games e... TRECOS: Brinquedos colecionáveis e toda tranqueira relacionada! Tem até chiclete aqui! RADIOLA: música para estapear os tímpanos! Mais informações sobre aqueles que fazem A Arca Dê aquela força para nós d´A Arca ajudando a divulgar o site!
Artigo adicionado em 08/08/2006, às 01:18

Review: OMAC #01 – 02
Guerra de um soldado só… Saído das páginas do especial DC: Brave New World, vem o título OMAC.Mais uma aposta num título diferente do habitual, pois o personagem principal vive na ambigüidade de sua personalidade e do seu alter-ego OMAC. Bem, para entendê-lo melhor, temos que ir ao início. Desconfiado de seus companheiros de “trabalho” […]

Por
Rodrigo "Machine Boy" Parreira


Saído das páginas do especial DC: Brave New World, vem o título OMAC.Mais uma aposta num título diferente do habitual, pois o personagem principal vive na ambigüidade de sua personalidade e do seu alter-ego OMAC. Bem, para entendê-lo melhor, temos que ir ao início. Desconfiado de seus companheiros de “trabalho” – por causa dos eventos mostrados em Crise de Identidade -, Batman cria um satélite chamado Brother Eye, que espionaria os metahumanos. Só que o satélite acabou caindo nas mãos da facção do Xeque-Mate liderada pelo traidor Maxwell Lord, e este foi associado ao Projeto OMAC, no qual o satélite coordenaria a ação de humanos infectados com um vírus tecnológico. Ao fim de Crise Infinita, Batman e seus aliados conseguiram barrar os esforços do satélite, desativando todos os OMACs e aparentemente destruindo Brother Eye.

Bom, aparentemente, como podemos ver nas páginas da nova série OMAC. BrotherEye ainda tem uma última cartada, e conseguiu infectar um humano e transformá-lo no último OMAC. E assim segue a história, onde um pobre rapaz transforma-se aos poucos em uma máquina assassina especializada em chacinas – mas algum defeito no restaurado Brother Eye faz com que às vezes o hospedeiro se sobressaia no comando, e este volte a ser um humano normal. Com isto, numa fuga enlouquecida da polícia, o rapaz e sua contraparte são perseguidos inclusive por heróis como Nuclear, e o jovem tenta entender o que aconteceu na verdade com ele, enquanto divide seu tempo em sua versão e na versão pronta para matar.

Bem, a premissa da série é boa, e suas duas primeiras edições estão muito bem produzidas. Mas é uma série que tende a perder o sentido, e se não souber ser bem levada acaba afugentando os leitores. Por mais que seja uma historia de “heróis”, ela tende muito para o lado psicológico. Apesar de que estamos falando do autor Bruce Jones, que sabe muito bem levar a questão adiante, pois ele conseguiu ser bem feliz em sua passagem pela revista “Hulk” onde também trabalhava com dubiedade de personagens. Mas quem quiser ler “OMAC”, tem que saber que a revista tem ação sim, mas a questão será muito mais do que isto, vai ser encima do conflito de personalidades do personagem principal.

Outro grande destaque no título, é a arte do brasileiro Renato Guedes, que assim como Ivan Reis e Adriana Melo, a gente pode acompanhar mais de perto, e após passar por editoras desconhecidas, e por adaptações de séries como “Stargate”, 24 Horas e “Smallville”, além do prequel de Jogos Mortais, enfim o talento dele chega a um titulo mensal da DC Comics. Ele continua com sua arte meio fotográfica, com rostos bem reais, além de se sair muito bem com cenários – o que acaba dando mais um grande destaque a este nova revista.

Bom, eu estou apostando neste título, pelo menos suas duas primeiras edições estão bem acima do nível de alguns outros lançamentos da editora.

OMAC / Ano: 2006 (Estados Unidos)/ Editora: DC Comics / Roteiro: Bruce Jones / Desenhos e arte-final: Renato Guedes / 24 páginas.

:: UAU! Hoje, dia 14 de setembro, comemoramos 20 anos do lançamento do site https://t.co/ATRXN4js2w. Muita água rolou debaixo desta ponte ao longo dos últimos anos. Deu risada, deu briga, deu casamento. Mas deu, mais do que qualquer coisa, muito orgulho, isso sim.
:: Gente, tudo bem? Tamos vivos aqui, tá. E nos cuidando. Aproveitando #tbt, olha o crossover de @thiagocardim e @rpichuebas que rolou neste episódio do @imaginasepega! #tomevacina #VivaOSuS #usemascara #ForaBolsonaro
:: RT @AnimaSomPod: Faça como o @thiagocardim e contribua também com nossa campanha do @catarse! 😄 Nos ajude a bater a meta de R$ 500 e tenha…
:: ...e olha só que o filho da @francineguilen e do @rpichuebas chegou no Twitter. Segue lá!
:: RT @imaginasepega: Não importa se você é padawan ou mestre Jedi. Este episódio do #podcast @imaginasepega é pra você, homenagem ao #StarWar…

Quem Somos | Ajude a Divulgar A ARCA!
A ARCA © 2001 - 2007 | 2014 - 2021