A ARCA - A arte em ser do contra!
 
Menu du jour! Tutu Figurinhas: o nerd mais bonito e inteligente dessas paragens destila seu veneno! GIBI: Histórias em Quadrinhos, Graphics Novels... é, aquelas revistinhas da Mônica, isso mesmo! PIPOCA: Cinema na veia! De Hollywood a Festival de Berlim, com uma parada em Nova Jérsei! RPG: os jogos de interpretação que, na boa, não matam ninguém! ACETATO: Desenhos animados, computação gráfica... É Disney, Miyazaki e muito mais! SOFÁ: É da telinha que eu estou falando! Séries de TV, documentários... e Roberto Marinho não está morto, viu? CARTUCHO: Videogames e jogos de computador e fliperamas e mini-games e... TRECOS: Brinquedos colecionáveis e toda tranqueira relacionada! Tem até chiclete aqui! RADIOLA: música para estapear os tímpanos! Mais informações sobre aqueles que fazem A Arca Dê aquela força para nós d´A Arca ajudando a divulgar o site!
Artigo adicionado em 08/07/2005, às 11:06

Crítica: POKÉMON 4 – VIAJANTES DO TEMPO
Eu gosto de Pokémon. Mas o filme é ruim PACAS! E lá fui eu pegar a primeira sessão de Pokémon 4 – Viajantes do Tempo no Cine Roxy aqui de Santos, para escrever essa crítica aqui para A ARCA, já que a Europa Filmes não fez cabines para a mais que atrasada quarta aventura de […]

Por
Paulo "Fanboy" Martini


E lá fui eu pegar a primeira sessão de Pokémon 4 – Viajantes do Tempo no Cine Roxy aqui de Santos, para escrever essa crítica aqui para A ARCA, já que a Europa Filmes não fez cabines para a mais que atrasada quarta aventura de Ash Ketchum e Pikachu (o filme foi lançado nos EUA em 2002) nas telonas.

Também, olha só: o filme é uma grande porcaria. Eu diria até que é o pior dos filmes dos monstrinhos da Nintendo. Consegue ser pior até mesmo que o segundo filme, Pokémon 2000. É um filme arrastado, melodramático e entupido de clichês, sem falar que não há nenhuma melhora no visual e na animação. Os novos monstrinhos – Celebi, um pokémon do tipo grama, e Suicune, do tipo água – são apáticos, com personalidades e poderes muito mal aproveitados. Isso sem falar nos personagens secundários, totalmente dispensáveis, e no vilão, que consegue ser pior que o Colecionador, de “Pokémon 2000”. Até mesmo a Equipe Rocket consegue passar despercebida pela história: justo eles, a fonte de humor da série.

A idéia é fraca desde o começo: em muitas de suas viagens (ainda durante a Liga Johto), Ash, Brock e Misty acabam fazendo uma paradinha em uma vila no meio de uma floresta, onde os moradores constróem suas casas no topo das árvores. Lá, o povo acredita na “Voz da Floresta”, que proteje a mata e todos os animais, e dizem que esse “espírito” tem o poder de viajar através do tempo. E se esse espírito fosse, na verdade, um pokémon? E se houvesse um vilão que pretende usar os poderes desse pobre bichinho para o mal? Preciso continuar?

O roteiro é medroso: Celebi é um dos seres mais poderosos do universo Pokémon – talvez perdendo apenas para os Unown, aqueles seres bizarros em formato de letras de Pokémon 3 – e, ainda assim, quando o vilão o captura, ele só o utiliza para… destruir tudo que vê pela frente? Então qual a valia de ter o poder de viajar no tempo? Tudo bem, o vilão é altamente mequetrefe… Mas a maior decepção mesmo é com Suicune: o bicho é totalmente imprestável! Poder de purificar água? Precisava criar um pokémon lendário que só faz isso NO FILME INTEIRO? Ah, que saudades da Lugia, Articuno, Mew

Para variar, a única coisa que continua boa mesmo é a nossa espetacular dublagem, que chuta bundas. Parabéns aos profissionais da Álamo, e desculpas por não citar o nome dos profissionais que trabalharam nesse filme: não recebi nenhum material da assessoria de imprensa da distribuidora, e não consegui as informações a tempo. Quem puder me enviar a lista, eu ficaria muito agradecido. ^_^

Bom, resumindo: o filme é ruim pacas. E eu ainda tive a sorte, em um cinema CHEIO de crianças e pré-adolescentes, de sentar na frente de dois moleques que teimaram em falar o filme INTEIRO! Ah, e também ficavam chutando minha cadeira em intervalos de 15 a 30 segundos. E sim, estou sendo sarcástico. De qualquer maneira, não tenho ódio deles como eu tenho dos malditos adolescentes: por incrível que pareça, eles estavam no clima do filme, e apenas comentavam o que acontecia na telona. Não posso negar que eles me lembraram do nome de muitos Pokémons que eu já tinha esquecido, já que faziam questão de cantar o nome dos bichinhos toda vez que um deles surgia nas telas. 🙂 Os adolescentes querem apenas encher o saco, xingar e entupir nossa paciência (se você é um adolescente e não faz isso, ponto prá você. Se você faz, vê se se toca e pára com isso).

Ah, sim: mesmo depois de um filme desses, os monstrinhos da Nintendo ainda dão de dez a zero em Digimon e naquele maldito Yu-Gi-Oh!. E eu ganhei um card promocional do Suicune. YEY! ^_^

Pokémon 4: Viajantes do Tempo (Título original: Pokémon 4ever) / Ano: 2002 / Produção: Japão-EUA / Direção: Jim Malone e Kunihiko Yuyama / Roteiro: Hideki Sonoda / Elenco: Veronica Taylor, Rachael Lillis, Eric Stuart, Tara Jayne, Ikue Ootani (vozes em inglês) / Duração: 75 min.

:: RT @thiagocardim: Minha gente! Lembro de quando fomos, eu e @paulomartini, representando @SiteAARCA, cobrir o evento de lançamento que a Ed…
:: UAU! Hoje, dia 14 de setembro, comemoramos 20 anos do lançamento do site https://t.co/ATRXN4js2w. Muita água rolou debaixo desta ponte ao longo dos últimos anos. Deu risada, deu briga, deu casamento. Mas deu, mais do que qualquer coisa, muito orgulho, isso sim.
:: Gente, tudo bem? Tamos vivos aqui, tá. E nos cuidando. Aproveitando #tbt, olha o crossover de @thiagocardim e @rpichuebas que rolou neste episódio do @imaginasepega! #tomevacina #VivaOSuS #usemascara #ForaBolsonaro
:: RT @AnimaSomPod: Faça como o @thiagocardim e contribua também com nossa campanha do @catarse! 😄 Nos ajude a bater a meta de R$ 500 e tenha…
:: ...e olha só que o filho da @francineguilen e do @rpichuebas chegou no Twitter. Segue lá!

Quem Somos | Ajude a Divulgar A ARCA!
A ARCA © 2001 - 2007 | 2014 - 2022